quarta-feira, fevereiro 21, 2018

Quantas pessoas te amaram?

«Quantas pessoas te amaram? Quantas amaste? O afecto é a melhor forma de saberes o tamanho da tua vida. Ou seja, do até onde exististe. Haverá outro balanço para saberes se ela valeu a pena?»

Vergílio Ferreira, Pensar, texto 470

segunda-feira, fevereiro 19, 2018

Do baú...


Soizick Meister
Magros de sentimentos
Arrastamo-nos por dias
De modorra e de silêncio.

Buscamos, na luz opaca,
Agasalho para um coração
exilado de abraços e de ternura.

Procuramos, na monótona cor,
a flor rubra, o sopro
que nos falha, a voz
que em nós finda.

Deslizamos, sonâmbulos,
pela berma do que fomos,
onde não restam seiva ou sangue,
onde já não pousam cantos
nem voos de aves.

Ali, onde as sementes
se esqueceram
de amadurecer flores.
Ali, onde nos sobram horas
e braços
para tão pouca vida.

deep, Abril de 2013

sexta-feira, fevereiro 16, 2018

quarta-feira, fevereiro 07, 2018

segunda-feira, fevereiro 05, 2018

Um café "solo"


Um café. Quente, escuro e aromático,
por favor.
Um café "solo", como convém à minha 
solidão crónica.
Um café que possa degustar em sorvos lentos.
A acompanhar?
Nada. Um café "solo". Penso tê-lo dito
num tom audível.
Mas, desculpe, se tiver um raio de sol, agradeço.
Um desses raios de sol de Primavera arrependida,
para deglutir, com o corpo todo, de um só trago.
Um desses raios de sol que nos esvazia a alma e,
bendito seja!, nos impede de mastigar pensamentos.
É isso: um café quente, escuro e aromático, servido
com um raio de sol... ah, e se não for pedir muito,
uma cadeira, até pode ser de plástico.

deep, Maio de 2017

Das minhas leituras

Veio, há dias, parar-me às mãos um romance histórico da Alice Vieira que desconhecia: Os Profetas.Trouxe-o para casa e, entre um fim de tarde de sexta e algumas horas de sábado, degluti-o.
A narrativa, baseada em factos reais, tem como protagonistas tio e sobrinha, moradores em Porto Santo, no reinado de D. João III, que, por serem acusados de heresia, são trazidos para o continente. A narração faz-se em primeira pessoa, pela voz da sobrinha que, muitos anos depois, à beira da morte, relata, em retrospectiva como tudo se passou.

Para os curiosos, fica um link para algumas páginas.